PENSE NISSO...
Dia Nacional do Doador de Sangue

Você sabia que quando doa sangue pode salvar até quatro vidas? O ato de doar é um gesto de solidariedade ao próximo. A data foi estipulada em novembro pelo fato de ser habitual o baixo estoque em unidades de saúde nos meses de dezembro e janeiro, período em que há diminuição do número de doadores por conta das férias e festas. Ao mesmo tempo, é quando há aumento no consumo de bebidas alcoólicas e no número de acidentes, elevando a demanda por sangue.

O advogado Rafael de Oliveira Soares é um doador de sangue. Há nove anos ele pratica esta atitude solidária. “Quando você doa está salvando vidas. Eu doou para os hemocentros e hemoclínicas particulares com frequência. O pessoal sempre entra em contato quando o banco de sangue está baixo. E depois de um tempo, os funcionários dos hemocentros passam a te conhecer e isso é muito bacana também”, diz.

A cada três meses, o arquiteto João Gabriel também realiza a doação de sangue. “Só vemos a importância quando estamos precisando e isso é muito importante, um gesto de grande valia e algo tão simples que pode ajudar muitas pessoas”, reforça.

Atualmente, o Brasil está colhendo três milhões e seiscentas mil bolsas de sangue. Dessas, cerca de 70% é colhido nos hemocentros públicos. A outra parte é colhida pelos bancos de sangue dos hemocentros privados.

Banco virtual de doadores – O Ministério da Saúde lançou, em novembro de 2011, a ferramenta Banco Virtual de Doadores de Sangue com a missão de agregar e cadastrar doadores de sangue em todo o Brasil. Ele está disponível na Fan Page “Doe Sangue” do Facebook para mobilizar e engajar as pessoas que apoiam a causa.

O usuário deve realizar o cadastro informando o tipo sanguíneo, nome, e-mail e cidade. Com o Banco de Doadores, os internautas também podem ver os seus amigos classificados por tipo sanguíneo. Isso significa que a pessoa não precisa doar imediatamente, mas comunica que se coloca à disposição para uma eventual doação.

Tipos sanguíneos – O sangue humano é classificado em grupos e subgrupos, sendo os mais importantes, o ABO (A, B, AB e O) e o Rh (positivo e negativo). Se você é do grupo AB (receptor universal), então você poderá receber sangue de todos os grupos: A, B, AB e O. Se você é do grupo A, não pode receber sangue do grupo B ou AB. Pode dos grupos A e O. Se você é do grupo O e tem o tipo O negativo pode doar sangue para todos os grupos (doador universal).

“Pedimos para as pessoas que têm sangue O positivo, O negativo, A positivo e A negativo, que são os mais utilizados, doem mais vezes. Queremos reforçar também que as pessoas com o tipo sanguíneo O negativo façam a doação e ajudem todos os outros”, lembra o coordenador Genovez.

Quem pode doar sangue - Pessoas com peso acima de 50 quilos e idade entre 18 e 67 anos. Podem ser aceitos candidatos à doação de sangue com idade de 16 e 17 anos, com o consentimento formal do responsável legal. É necessário apresentar documento com foto, válido em todo território nacional.

Quem não pode doar- Pessoas com diagnóstico de hepatite após os 11 anos de idade; mulheres grávidas ou amamentando; pessoas que estão expostas a doenças transmissíveis pelo sangue como AIDS, hepatite, sífilis e doença de chagas; usuários de drogas; aqueles que tiveram relacionamento sexual com parceiro desconhecido ou eventual, sem uso de preservativos.

Recomendações - Nunca vá doar sangue em jejum; faça um repouso mínimo de 6 horas na noite anterior à doação; não tome bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores; evite fumar por, pelo menos, 2 horas antes da doação e evite alimentos gordurosos nas 3 horas antecedentes à doação. Pessoas que exercem profissões como, piloto de avião ou helicóptero, condutor de ônibus ou caminhões de grande porte e trabalhadores que sobem em andaimes - devem interromper as atividades por 12 horas, após a doação. A mesma recomendação é válida para quem pratica pára-quedismo ou mergulho.



Publicidade

  • slide1
  • slide2
  • slide3

Vídeos



  • slide1
  • slide1
  • slide3
  • slide4